A organização dos Jogos de Tóquio 2020 organizou, neste domingo, um evento para marcar o início da construção do novo estádio olímpico japonês. Na cerimônia, o Primeiro Ministro Shinzo Abe e a governadora Yuriko Koike, entre outras autoridades, colocaram as mãos sobre uma esfera de vidro com os tons pastéis da logomarca da competição para simbolizar o início dos trabalhos.

– Temos que fazer as Olimpíadas e Paralimpíadas de Tóquio as melhores do mundo, já que estamos com o bastão entregue pelo Brasil em nossas mãos. Estes serão Jogos que dividirão nossas esperanças e sonhos, Jogos que deixarão um legado de orgulho e que mostrarão ao mundo a força do Japão – disse Abe.

tóquio 2020 shinzo abe (Foto: Reuters)

O evento contou ainda com a projeção em um telão da futura estrutura do estádio olímpico. Modificado para reduzir custos, o projeto assinado pelo arquiteto Kengo Kuma é inspirado em construções como as de santuários japoneses e pagodes, sendo composto de estruturas pré-fabricadas de madeira e aço. O local será cercado por um parque, que deverá ajudar no controle de temperatura do local.
-Esta Olimpíada será a primeira a levar os princípios da Agenda 2020 do Comitê Olímpico Internacional (COI). E central para esta Olimpíada será este estádio, que acredito fortemente, será um verdadeiro símbolo da Agenda 2020 – disse a governadora Koike, referindo-se à cartilha do COI para reformulação dos Jogos visando principalmente corte de custos e a implementação de medidas sustentáveis.
A expectativa é que a obra custe US$ 1,5 bilhão e fique pronta em novembro de 2019. O resultado final é aguardado com ansiedade pelos japoneses porque neste mesmo local ficava o estádio olímpico que recebeu os Jogos de 1964, demolido para a reconstrução para 2020.

obra estádio olímpico tóquio 2020 (Foto: Reuters)

obra estádio olímpico tóquio 2020 (Foto: Reuters)

O Atlético de Madrid corre contra o tempo para finalizar as obras do estádio Metropolitano, nova casa da equipe a partir da próxima temporada. A cobertura está quase pronta, faltam poucos detalhes. Dentro do estádio, as cadeiras estão sendo colocadas, e o campo está sendo preparado para receber o gramado. No entorno, ainda muito entulho e obras em andamento. O clube divulgou que a primeira partida oficial no estádio acontecerá apenas na quarta rodada do Campeonato Espanhol, contra o Málaga. Por conta disso, os colchoneros disputarão fora de casa as três primeiras rodadas da competição nacional.

Novo estádio Atlético de Madrid

Estádio Metropolitano

Estádio Metropolitano

O Atlético de Madrid apresentou nesta quarta-feira um inovador projeto de iluminação para o seu novo estádio. Em parceria com uma empresa holandesa, o clube terá pelos próximos quatro anos uma arena integralmente com a tecnologia LED.

A iluminação dinâmica permitirá projetar as cores do Atlético em cada jogo, desde o acesso ao estádio, mudará de cor quando sair um gol e pode também realizar espetáculos de luz desenhados para cada ocasião.

Estádio Atlético de Madrid projeto iluminação (Foto: Reprodução / YouTube)

Inaugurado em 1994 como estádio de atletismo (parte do projeto olímpico da cidade), o La Peineta foi fechado em 2004 para uma remodelação que ainda não foi concluída – e custará € 240 milhões (R$ 866,4 milhões na cotação atual). O Atlético de Madrid vai assumi-lo como casa a partir da próxima temporada, substituindo o Vicente Calderón. A capacidade será entre 68 mil e 72 mil espectadores.

Estádio Atlético de Madrid imagem aérea (Foto: Reprodução / Site Oficial)

Estádio Atlético de Madrid imagem aérea (Foto: Reprodução / Site Oficial)

Estádio Atlético de Madrid imagem aérea (Foto: Reprodução / Site Oficial)

O Governo japonês aprovou nesta sexta-feira o contrato para a construção do estádio olímpico para os Jogos de 2020. Após um adiamento de mais de um ano, o projeto foi aprovado com um valor de US$ 1,5 bilhão (R$4,8 bilhões).
Segundo o planejamento oficial, a construção começará em dezembro, depois de um atraso por conta do alto custo e do design inicial, que não agradou boa parte da população. O Conselho do Esporte do Japão, organização do Governo para os Jogos, afirma que o estádio estará pronto em novembro de 2019, cinco meses antes do que estava previsto.

Kengo Kuma arquiteto Tóquio Jogos 2020 (Foto: Kengo Kuma)

O contrato proposto anteriormente era de US$2,65 bilhões (R$8,64 bilhões). Yuriko Koike, governadora de Tóquio, disse que vai acompanhar de perto a construção do estádio devido ao seu alto custo. Um painel está discutindo o uso da instalação depois dos Jogos.
– Pelo fardo que devemos dividir, eu vou garantir que será utilizado pelas pessoas de Tóquio e elevar minha voz quando for necessário – disse.
O Governo de Tóquio está revisando o projeto dos Jogos por conta de seu alto custo. Em um relatório divulgado na quinta-feira, a previsão é de que os gastos superem US$ 30 bilhões (R$ 96,71 bilhões) caso não haja cortes no orçamento. O documento também sugeriu a utilização de sedes já existentes, evitando a construção de “elefantes brancos”.

Antes de avançar por uma arena e apresentar o projeto aos conselheiros nesta terça-feira, o Santos estudou a construção de um estádio em São Paulo. As condições, porém, não agradaram.

O Peixe fez pesquisas de mercado e projetou custo de construção em torno de R$ 1 bilhão, diferentemente dos R$ 450 milhões do campo em Santos. Além disso, outro fator pesou contra: a concorrência.
Na capital paulista há três grandes estádios, de Corinthians, Palmeiras e São Paulo, que poderiam atrapalhar a realização de eventos e dificultar a agenda de jogos, já que a Polícia Militar não costuma liberar mais de uma partida no mesmo horário.
Sem a possibilidade de ter uma arena em São Paulo, o Alvinegro segue com a ideia de ter dois estádios em Santos, com distância de cerca de 1 quilômetro. A Vila Belmiro seria reformada e receberia “jogos menores”, enquanto o novo estádio teria shows e as partidas mais importantes.

Camp Nou troca de gramado (Foto: Ivan Raupp)

O Camp Nou vai começar a temporada com tapete novo para receber Messi, Neymar, Suárez e as outras feras do Barcelona. O clube decidiu trocar o gramado 100% natural pelo híbrido e aproveitou que os jogos ainda não começaram para realizar o procedimento.

De acordo com o Barça, a troca vinha sendo estudada há tempos, e o novo gramado foi testado pelo clube por mais de um ano. A grama híbrida consiste em uma combinação entre grama natural – a maior parte – e a grama artificial, o que torna o campo mais forte e estável, e a manutenção dele mais fácil. O chance de inundação, por exemplo, passa a ser bem menor. Antes, o gramado era totalmente natural. O mesmo acontecerá na Ciutat Esportiva Joan Gamper, centro de treinamento dos catalães.

A grama híbrida é muito utilizada em estádios de times de futebol da Inglaterra e da NFL, a liga de futebol americano.

Camp Nou troca de gramado (Foto: Ivan Raupp)

O campo anexo de São Januário está em fase final. Na manhã desta terça-feira, o espaço, que fica atrás das arquibancadas, começou a receber o gramado e deve ficar liberado para uso na primeira quinzena de agosto. Com isso, o elenco profissional do Vasco vai deixar de trabalhar no campo principal e preservar o terreno para os jogos oficiais. A finalização do plantio está prevista para esta quarta.
Para evitar problemas de fungos e ajudar a adaptação dos jogadores, a grama utilizada no campo anexo é da mesma espécie utilizada no principal, chamada de Bermuda Tifway 419. Como o equipamento usado para o corte será o mesmo para os dois terrenos, a Greenleaf, que é responsável pelo plantio, manteve a semente.
O Vasco ainda reformou o muro de fundo, que traz a conhecida frase do ex-presidente Cyro Aranha e que já foi por diversas vezes lembrada por Eurico Miranda: “Enquanto houver um coração infantil, o Vasco será imortal”.
Por sinal, desde que assumiu novamente a presidência do clube, em novembro de 2014, o presidente Eurico Miranda vem reforçando a importância das obras em São Januário, que teve o ginásio reformado (com a ajuda financeira dos torcedores) e ganhará, em breve, o prédio do CAPRES. O local será para reabilitação e prevenção de problemas físicos dos atletas vascaínos.

Campo anexo de São Januário começa a receber o gramado (Foto: divulgação)

Campo anexo de São Januário começa a receber o gramado (Foto: divulgação)

Campo anexo de São Januário começa a receber o gramado (Foto: divulgação)

Campo anexo de São Januário começa a receber o gramado (Foto: divulgação)